Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Além do Horizonte

Neste blog poderá encontrar temas relacionados com a inclusão, a forma de descomplicar e informar sobre a cegueira, bem como as dificuldades que sentimos no dia-a-dia.

Além do Horizonte

Neste blog poderá encontrar temas relacionados com a inclusão, a forma de descomplicar e informar sobre a cegueira, bem como as dificuldades que sentimos no dia-a-dia.

Quem disse que os cegos não desfilam no carnaval?

27.02.20, Além do Horizonte

Hoje trazemos para o nosso publico, a participação pelo quinto ano consecutivo, após ter perdido a visão, no desfile de um dos melhores carnavais do país, por uma das nossas colaboradoras do nosso blog, Ana Dias. Cega a quase seis anos, nunca escondeu a sua paixão pelo carnaval, mesmo após ter perdido a visão, continua desfilando com toda a garra e dedicação pelas ruas de Loureiro, espalhando todo o seu brilho e glamour, contagiando todos aqueles que amam e apreciam o carnaval.

Com samba no pé, representou por cerca de sete anos as escolas de samba Independentes, onde desfilou como comissão de frente, passista, figurante de carro, e a escola Vai Quem Quer, como figurante de carro. Nos últimos quatro anos e após ter ficado cega, tem representado como madrinha, o grupo de dança de Loureiro, que este ano trouxe para o seu desfile, o tema Mundo encantado.

Neste ultimo sábado, 22 de fevereiro de 2020, ela juntamente com mais participantes do grupo de dança, desfilou durante mais de duas horas pelas ruas de Alumieira, e nesta terça feira de carnaval por mais de três horas pelas ruas de Oliveira de Azemeis, deixando todos de queixo caído por onde ela passou, mostrando a sua beleza, atitude, animação e determinação.    

Ana Dias, claramente um exemplo a seguir, deixando bem claro que para ela a deficiência visual é apenas uma pequena limitação, que não a torna mais nem menos que os outros, e que não a impede de ser e nem fazer qualquer coisa que ela assim desejar. Para além de todos os pesares, mostra-nos que a incapacidade e os obstáculos podem ser ultrapassados, com uma enorme força de vontade, que a tem mantido firme e forte em todas as suas peripécias, assim como as borboletas, traje a qual ela trazia vestida. A borboleta como o símbolo da transformação, não poderia ser aplicada de maneira mais coerente, do que no caso da Ana Dias, pois com certeza ela irá com base na pessoa iluminada, guerreira, corajosa e persistente que ela se transformou, incentivar e encorajar muitos outros a sentirem, e experimentarem  a energia positiva do carnaval.

Vamos todos ajudar na inclusão, e na integração de pessoas com deficiência nas nossas sociedades, e fazer com que esta borboleta inspiradora flutue, e voe para além do horizonte?

Lucia.jpg

Descrição da foto: Ana Dias a desfilar com um fato justo preto e umas asas cor de laranja com nuances pretas.

Quer saber como é possível um cego desfilar no carnaval? Fique atento no próximo artigo onde Ana Dias, irá contar detalhadamente em primeira mão, todas as suas experiências e sensações vividas nestes últimos anos da sua vida no carnaval, representando não só os deficientes visuais, mas todos os deficientes em geral.

 

Elenir Soares

2 comentários

Comentar post